Em volta da Cultura das Artes – A Cultartis

A ideia surgiu quando um grupo de alunos, do curso Técnico de Desenho e Pintura na Escola Duran Castaibert nas Caldas da Rainha, achou interessante começar a expor os trabalhos elaborados nas aulas.

Apoiamos e temos vindo a falar na candidatura a Selo e Postal da República Portuguesa, nas obras e nos artistas que as criaram, na Marca Costa Verde e Prata e na mulher que lhe dá vida. Hoje vamos revelar-lhe um pouco sobre a Associação para a Cultura das Artes, na voz da sua Presidente, Anunciação Gomes.

O que é a Cultartis?

A Cultartis – Associação para a Cultura das Artes, é uma associação sem fins lucrativos, sediada nas Caldas da Rainha e que foi fundada a 11 de abril de 2007.

Como nasceu a ideia?

A ideia surgiu quando um grupo de alunos, que frequentava um curso Técnico de Desenho e Pintura na Escola Duran Castaibert nas Caldas da Rainha, achou que seria interessante começar a expor os trabalhos elaborados nas aulas.

Como tudo aconteceu?

Depois da aprovação da Vereadora da Cultura, encetaram-se diligências e contactos para a organização da primeira Exposição com o título ” Flores, Frutos e Legumes “, agendada para o dia 8 de setembro de 2007 e que seria um evento de rua.

Entretanto, nos finais do mês de julho, (sem que nada o fizesse prever), dá-se o falecimento do membro fundador Luis Duarte, que de todos era o mais empenhado e entusiasta do projeto. Este infeliz acontecimento levou-nos a considerar a hipótese, de que mesmo antes de ter começado o mesmo iria acabar.

O que os moveu a continuar?

Resolvemos fazer (em sua memória), a exposição de setembro, para a qual ele tanto trabalhara. Muitos Artistas amadores se juntaram a nós, bem como os Museus José Malhôa e o da Cerâmica com painéis alusivos de algumas das suas obras.

Caminhamos numa época de união. Juntos vamos mais longe?

Sem dúvida. Foi um enorme sucesso!!!   –  Mais de cem cavaletes com trabalhos de Desenho, Pintura, Fotografia e algumas mesas com peças de Cerâmica de Autor, encheram os dois lados da Rua das Montras, estendendo-se desde a Praça da Fruta até à Rua Miguel Bombarda.

Presentearam-nos com a sua presença o então Presidente da Câmara Dr. Fernando Costa, os Vereadores da Cultura, Educação e do Turismo bem como o representante do Governador Civil de Leiria, entre outros. Depois disto, não tivemos coragem para acabar com a Cultartis.

34392479_10214448175830973_5544119664587571200_n

É necessária mais coragem para avançar do que para parar. Quais os projetos que já desenvolveram?

De 2007 a 2009, fizeram-se várias exposições quer de rua quer em espaços fechados como lojas e stands de automóveis.

Só no Centro Comercial Vivaci fizeram-se exposições consecutivas, durante todo o ano de 2008 e parte de 2009.

Em novembro de 2009 a Câmara Municipal cedeu-nos uma sala, nas instalações da antiga UAL, para a sede da Associação, onde nos encontramos até à data, em regime de comodato.

Nestes 11 anos de existência temos feito muitos eventos/exposições, em várias cidades nacionais e não só, a saber:

  • Caldas da Rainha, Cartaxo, Castelo de Vide, Coimbra (Fiarte), Figueira da Foz (Figarco), Figueiró dos Vinhos, Óbidos, Leiria (Leiriartes), Pombal, S. Martinho do Porto e La Codosera (Espanha).
  • Colaboramos ativamente desde 2008 com o Museu do Ciclismo.

Projetos que, através da arte, promovem a construção de algo mais humano!

Temos parcerias com a Associação da Amizade e das Artes Galego Portuguesa (AAAGP) da Figueira da Foz e com a Associação “Olha-te” um projeto desenvolvido no âmbito da Associação Recreio Club da Caldas da Rainha, uma associação de carácter literário, cultural e desportivo, onde trabalhamos a iniciação à técnica do desenho a carvão, a doentes de Câncer e seus familiares.

A expansão da atividade da Cultartis

Em 2013 foi-nos sugerido pelo José Manuel Rego da Silva, marido de uma nossa associada, um circuito de exposições abrangendo alguns Municípios do Oeste. Assim surgiu a Bianal Art’Oeste, que teve a sua primeira edição em 2015 – (Art’Oeste 2015), com os Municípios de Caldas da Rainha, Alenquer, Bombarral e Alcobaça.

O projeto que apadrinhamos!

Para a Art’Oeste 2017, fez-se uma parceria com a Marca Costa Verde e Prata, que propôs como prémio, a Candidatura da obra mais votada a Selo da República Portuguesa e que ainda está em apreciação pelos CTT. Este circuito teve inauguração em Óbidos, seguindo-se Caldas da Rainha, Alenquer, Bombarral e Lisboa (Galeria Arte Graça).

34307616_10214448176590992_1995814643242631168_n.jpg

Nota: A candidatura a Selo da República Portuguesa, veio a transformar-se em “Candidatura a Selo e Postal da República Portuguesa” composta pelas obras premiadas em primeiro (postal) e segundo (selo) lugar.

34344583_10214448176670994_4740880253893738496_n

O Futuro constrói-se diariamente

Estamos já a preparar a Art’Oeste 2019, cujo regulamento será divulgado no dia 1 de Dezembro de 2018 no Município do Bombarral.

A Mulher que dirige o destino da Cultartis.

Desde 2007 que sou Presidente da Cultartis, não por minha vontade, mas porque não me deixam sair do cargo. Sinto-me orgulhosa do meu trabalho e da minha dedicação à Cultartis, mas nada disto seria possível sem a ajuda e colaboração de todos os associados, amigos e entidades oficiais que têm estado connosco na tarefa de elevar mais alto e levar mais longe o nome da Cultartis.

34419212_10214448175430963_2390457936573890560_n

Assim, enquanto puder e a minha Família deixar, vou ficando!!!….

A Presidente da Cultartis, Anunciação Gomes – Veja aqui uma pequena galeria de imagens de obras suas – As bailarinas.

Manhã de domingo

No LX Rural-Market Lovers, em Lisboa, percorremos as bancas, comprámos chá, conversámos e rimos…

As aventuras de duas amigas que sonham fazer a diferença, contribuindo para a promoção da alegria de viver gentilmente com o que nos rodeia, através de um Blogue. Sonhadoras sem dúvida, mas com os pés bem assentes na terra – sabemos bem o que queremos!

Acreditam que os contactos pessoais, olhos nos olhos, são essenciais a um são convívio e a um conhecimento mais sólido enquanto seres humanos. Com esta vontade de se encontrarem, de partilharem de viva voz os seus receios e as suas expetativas e de viverem em conjunto uma experiência, numa manhã de domingo, num dia quente de primavera, a Donna e Antonela levantaram-se cedo para visitarem o evento LX Rural-Market Lovers, que decorria no LX Factory em Lisboa, integrando a “Promoção da Candidatura a Selo e Postal da República Portuguesa” apoiada pelas associações “A Costa Verde e Prata” e a “CULTARTIS”.

Antes de lhe falarmos do evento em si e da experiência acontecida, vamos dar-lhe algumas notas sobre o local específico onde tudo se passou. Este amplo espaço numa zona privilegiada de Lisboa ainda com características muito residenciais, edificou, no remoto ano de 1846, a Companhia de Fiação e Tecidos Lisbonense em Alcântara. Hoje constitui um espaço com uma dinâmica muito interessante, onde se encontram instaladas várias indústrias e profissionais criativos, na área da moda, publicidade, comunicação, multimédia, arte, arquitetura, etc. propício ao convívio nos vários restaurantes e cafés ali existentes. No seu reportório de dinamização do local, acontecem feiras de rua levando muitos visitantes a procurar este local.

Nas suas habituais feiras de domingo entre as 10h e as 18h decorria, nesse dia, o Mercado LX Rural – do Município de Óbidos, com o apoio da Marca Oeste Portugal, do Município do Bombarral e com a participação do Turismo do Centro de Portugal.

20180506_105036

Percorremos as bancas existentes ao longo das ruas, comprámos chá, conversámos e rimos, apreciámos o material exposto, quadros, marcadores de livro, postais etc., no âmbito da promoção da Candidatura a Selo e Postal da República Portuguesa e conhecemos pessoalmente duas figuras públicas, duas mulheres que ficámos a admirar pela exuberância na alegria de viver e/ou pela simplicidade de ser e estar, pelo percurso pessoal feito, pela vontade de fazer a diferença promovendo a cultura e a arte procurando apoiar e projetar artistas de merecido relevo. Falamos de duas mulheres ímpares que, com empenho individual, cada uma leva por diante um dos dois projetos de relevo nesta área das artes, a “Cultartis, Associação para a Cultura das Artes” e “A Costa Verde e Prata”.

Mais tarde, iremos falar com mais pormenor sobre os projetos, sobre estas mulheres e os artistas envolvidos. Em particular, iremos acompanhar a candidatura conjunta a Selo da República e a Postal da República, sob o tema “Oeste: Terra de Vinhedos e de Mar”, com as obras “SURFINHO”, selo do artista plástico Jorge Rebelo e “OPULÊNCIA”, postal do artista plástico Nuno Confraria.

Como resultado desta experiência e terminada a manhã regressamos, cada uma, a sua casa, com a alma mais cheia pois cultivamos a mente com a observação dos produtos expostos, da arte e o encontro pessoal com pessoas que merecem admiração.

Em torno da palavra cultura, transcrevemos António Damásio no seu livro “A Estranha Ordem das Coisas” que nos fala da vida, dos sentimentos e das culturas humanas:

Podemos agradecer a Cícero e à Roma Antiga a aplicação da palavra “cultura” ao universo das ideias. Cícero usou o termo para descrever o cultivo da alma – cultura animi -, devendo estar a pensar no trabalho dos campos e no seu resultado, o aperfeiçoamento e a melhoria do crescimento das plantas. Aquilo que se aplicava à terra podia igualmente aplicar-se à mente.”