Agora Nós, vamos falar de … Propósito?

Perguntas para refletir: O que é para ti Propósito? Já encontraste o teu? Seguir o teu propósito vai fazer tua vida valer a pena?

Estás interessado(a)? Tanto se fala destas matérias Aqui e Ali, estão sempre na ordem do dia … e agora Nós, vamos falar de … Propósito? O que é para ti Propósito? Já encontraste o teu? Seguir o teu propósito vai fazer tua vida valer a pena? Qual a importância de se ter um propósito? Sabes qual a relação entre propósito e felicidade? Será que se olhares para dentro de ti descobres o teu propósito?

Existe um ditado do Aikido que diz o seguinte: “Aquilo que é conhecido é trabalhável. Aquilo que é desconhecido pode nos derrubar.” E tu queres ser protagonista ou passageiro da tua própria vida? Queres trabalhar e escrever a tua própria história de vida ou simplesmente és daqueles que se  deixa ir ao sabor dos acontecimentos que outros te impõem. És apenas um livro com páginas em branco, sem história? Sem saber quem és, a qualquer momento és derrotável?

No decurso desta reflexão, dou conta que há muito mais perguntas do que respostas não será com certeza por acaso pois, na nossa caminhada interior à procura do nosso Propósito deparamo-nos com a mesma situação – questionamos, refletimos… questionamos, refletimos … e agimos ou não.

Às vezes, é preciso deixar que o tempo mostre a melhor reposta. Há sempre uma hora para aceitar … e uma hora para mudar!

Na vida, o equilíbrio é fundamental! Acredito que não estou aqui de passagem, que trago um propósito comigo, que sou responsável pelas minhas ações no mundo e que, decididamente, saberei encontrar algo que me torne uma personagem participante e ativa na construção da minha história e na do universo. É um sentimento de realização maior que faz sentido na minha caminhada interior – viver o meu propósito todos os dias!

Ver-me sozinha nestes pensamentos permite aprofundar o conhecimento que tenho de mim mesma, é o estar presente na minha vida, viver em mim, descobrir quem sou, quais as minhas áreas de paixão, que competências possuo, que desafios estou pronta a enfrentar … é ao realizar que as respostas estão comigo, vivem dentro de mim, são a minha companhia … sou a protagonista!

Citando C.G.Jung “Quem olha para fora sonha. Quem olha para dentro desperta”. Não será este o segredo para encontrar o “EU”, despertar o “SER”, tomar consciência de quem és e entender o teu Propósito de vida, conheceres-te a ti próprio?

Não sou nenhuma especialista nestas matérias, este é apenas o estudo, uma análise de mim para mim, o que aqui está expresso é o meu sentir, as minhas dúvidas, as minhas faltas de respostas, o meu querer, o meu despertar, a minha experiência… e tudo o mais que esteja associado a entender a importância de encontrar o meu propósito porque acredito que eu, tu, nós … cada um tem um Propósito de vida!

Este artigo pretende apenas ser um alerta, um “abre olhos”, fazer a chamada da consciência para teres um Propósito. Atreve-te, chega de dares murros em ponta de faca, descobre o teu propósito de vida, o sentido da tua vida, cumpre o teu papel no universo … escuta-te, ouve-te – as respostas que esperas estão no teu coração e na tua intuição.

love-2573113__340

 

A felicidade está em mim, em ti, em nós … Vamos viver uma vida extraordinária!

O passado não trás futuro!

“também te acontece? olhares para trás, para o que foste, quem foste, por onde e com quem andaste, o que disseste, fizeste, juraste? – Inês De Barros Baptista.

“também te acontece? olhares para trás, para o que foste, quem foste, por onde e com quem andaste, o que disseste, fizeste, juraste? as escolhas e as consequências dos atos e das palavras, dos gestos e das omissões, consegues lembrar-te? também te acontece mergulhares em memórias, estranhares-te, virem à tona traços que já foram os teus e que deixaram rasto, mas que não segues mais? és capaz de ver onde, quando e como mudaste? não para seres outro ou outra qualquer, mas porque foste apurando o teu coração, foste plantando e colhendo e plantando e colhendo e cada estação dando os seus frutos: os de inverno mais secos, os da primavera em botão, os do verão sumarentos e os do outono, ah, os do outono, sempre quando te despes, quando aos poucos largas o que te serviu, mas já não te serve, quando te entregas e te preparas, despido, despida, para mais um inverno, também te acontece? e pouco importa se já lá estás, lá, afinal, é sempre tão longe!, o que importa é se estás a caminho. Se, como as estações, vais mudando de cor e de forma e de cheiro, apurando o teu coração e alinhando o teu passo pela batida tum~tum. 

acontece-te, tenho a certeza, olhares para trás, sobretudo para dentro, muitas vezes para cima, para o alto, e agradecer cada batida, cada passo que deste, cada estação, todos os frutos, as escolhas e as consequências dos atos e das palavras, dos gestos e das omissões e tu a caminho tum~tum”

Inês De Barros Baptista, 2018

 

Não se prender nem um minuto, não olhar para trás, este já foi, já passou, outros minutos nos esperam! Foi bom, mau, assim-assim ou simplesmente normal … que interessa o passado não volta mais, ficam as memórias mas o doce da vida é criar novas memórias a todo o instante e somos nós que decidimos onde e como queremos estar, não os outros.

Cada pessoa tem o seu mundo e é preciso respeitar não só o nosso mas também o do outro. Tudo passa … viver o presente, caminhando para o futuro e ter em atenção que “Não importa quantos anos há na tua Vida, mas quanta vida há nos teus anos”, Abrahan Lincolm. Nunca, mas mesmo nunca, deixar que as tristezas do passado e as incertezas do futuro estraguem as alegrias do presente. Fazer o melhor uso do momento presente e viver no agora é o melhor presente que nos podemos dar a nós próprios.

escolha caminho

A estrada de hoje é o nosso caminho, é o resultado das nossas escolhas. Eliminar o “e se …” das nossas vidas, já que não vai mudar absolutamente nada ao presente, é deixar o passado para trás!

Não se ocupar não se prender nem se deixar levar pelo passado é viver o tempo neste preciso instante, – o agora, na verdade quanto mais tempo por lá se andar menos oportunidades se enxergam no presente, passam todas ao lado.

No passado vivenciamos aqueles erros, aquelas histórias, aquelas atitudes, aquelas ações, aquelas palavras faladas com ou sem amor, com ou sem carinho, aquelas frustrações, aquelas fragilidades, aquelas raivas incontidas, aquelas relações com ou sem tamanha ralação, e muitas mais … Mas não podemos voltar para mudar o que aconteceu apenas podemos reflectir, melhorar, não repetir o que de menos bom foi vivido e aceitar o que se viveu é o culminar do presente, é o viver a vida agora como ela é, e não como desejaríamos que ela tivesse sido – é a aceitação na sua plenitude, viver em paz com o passado, sem a ilusão do futuro.

consciencia

Há quem sinta por vezes que viver no presente é difícil. Somos humanos, contadores de histórias, “manuseamentos” os pensamentos que fluem e se agitam na nossa mente como queremos, confundimos, manipulamos e infelizmente tendemos para fugir à realidade. Desta forma e, citando Gustave Flaubert, “O futuro nos tortura, o passado nos aprisiona. Eis que nos escapa o presente”, se nos deixarmos de conectar com o agora, com a realidade.

Somos o resultado das nossas experiências. Só o Eu de cada um de Nós é capaz de criar, moldar e viver a sua vida no presente mas para isso é necessário aceitar a realidade que se tem hoje. Focar no presente é essencial. Só assim podemos viver felizes, em harmonia e sermos pessoas objetivas e positivas. Infalivelmente os pensamentos sobre o futuro transmitem-nos ansiedade e os do passado, naturalmente, fazem ressaltar as mágoas e os ressentimentos.

 

 

Mas toda esta reflexão resulta de algo que me faz recordar, algo que me trás o passado prá frente e a ansiedade instala-se. Escuto no silêncio a minha mente, penso calada, num espaço físico onde coabitam duas pessoas mais os sons diversos que ressoam, a chuva que cai, a luz e o ruído da TV, o desfolhar do jornal pelo marido sentado ali mesmo ao lado, até aquele som característico do sofá quando um de nós se mexe mas nada disso cala o silêncio do pensamento – ele acontece mesmo ali! E mergulho … mergulho …

E mais um fim-de-semana molhado e cinzentão se passou enquanto mergulhava nos pensamentos que afloraram na minha mente, nas memórias que se soltaram e nas histórias vividas. Mas com a certeza porém que, se fizermos o nosso melhor hoje, a nossa vida será melhor no futuro. O passado, esse já foi! Não volta nunca … Focar no presente, viver o agora é sem dúvida a melhor decisão.

D.