Há sempre a acontecer Aqui e Ali um Festival!

Um festival Gastronómico! No restaurante O Navio na Praia do Navio em Santa Cruz, a sapateira é rainha.

E não é que é verdade! Há festivais, mas não só de música, neste caso fomos a um gastronómico – o Festival da Sapateira, onde esta é soberana rainha … ahahah …

A equipa hucilluc meteu pés a caminho dentro de uma viatura de 4 rodas, partimos de Lisboa em direção à A8 e algures no percurso saímos para A-dos-Cunhados. Cerca de 60 km percorridos e a menos de 1 hora de Lisboa chegamos ao nosso destino – Santa Cruz, dia excelente com um sol radioso e temperatura alta!

Falada por não ter o melhor clima do mundo, por nem sempre o sol brilhar com o denso manto de nevoeiro a cobrir esta estância balnear, mas ainda assim de rara beleza – é um dos paraísos à beira mar plantado. É exatamente em Santa Cruz, que desde 7 de setembro está a decorrer o Festival da Sapateira cujo término é já no próximo dia 7 de outubro. São vários os restaurantes que aderiram mas o eleito por nós foi o “Navio”, que é o único a prolongar este festival até ao dia 14 de outubro e se situa na Praia do Navio.

Chegados ao local, e apesar de não ter mesa reservada, com alguma sorte conseguimos lugar numa das salas, com vista privilegiada para a praia, com um sol radioso a incidir na areia e no mar. Tudo indicava que iríamos gozar de um almoço aprazível, não fora o calor que se fazia sentir na sala, único reparo a apontar.

De resto tudo correu maravilhosamente, sapateira boa, cerveja bem fresquinha, casquinha deliciosa, pão torrado na mesa, atendidas por um empregado – o Mauro, rapaz simpático, que se apresentou de imediato à nossa chegada com um sorriso e nos questionou o que queríamos almoçar. Retorquímos, venham de lá essas sapateiras, que é para isso que aqui estamos, nós e não só, a calcular pelo barulho do martelar que se fazia ouvir em todo o restaurante. Como é óbvio não vamos dizer quantas comemos, esse é um segredo nosso.

No final, pedimos para tirar umas fotos e como tínhamos curiosidade em saber a história deste festival, aqui fica o que nos contaram.

Este festival gastronómico já vai na 22ª edição, é promovido pela Câmara Municipal de Torres Vedras e organizado por seis restaurantes aderentes, das praias de Santa Cruz (Hotel Santa Cruz, La Fontana, O Navio, O Polvo, O Promar e o Santa.Come).

Esta espécie de crustáceo é conhecida por estar cheia de ovas nesta altura do ano. Por isso esta iniciativa se realizar nesta época. O preço da sapateira é fixo – 18,50€/pessoa (não inclui bebidas nem pão) e pode repetir as vezes que quiser, quantas desejar ou o seu estômago permitir. Pode ir para almoçar e ficar até ao jantar, só não pode é sair do restaurante, senão a refeição é dada como terminada.

Aqui fica o registo fotográfico e apressem-se está quase a acabar, depois só para o ano para se deliciarem com 1, 2, 3, 4, … … sapateiras bem gostosas.

 

 

 

 

 

sapateira.jpg

O “Energy Observer” continua a sua odisseia

O rio Tejo deixa de ter o catamarã Energy Observer que segue a sua odisseia pelo mundo até 2022.

Continuando a sua viagem pelo mundo levando mensagens positivas e inspiradoras na senda de preservação do meio ambiente e da vida na Terra, o Energy Oserver partiu de Lisboa.

Uma viagem à volta do mundo, que nos faz recordar a história de Portugal tão ligada ao mar, aos descobrimentos marítimos e à primeira viagem de circum-navegação comandada pelo navegador português Fernão de Magalhães, embora ao serviço do rei de Espanha. Em maio de 2018, celebrou-se o V centenário deste acontecimento. Fernão de Magalhães foi o primeiro europeu a atravessar o estreito entre os oceanos Atlântico e Pacífico, a sul da América do Sul, que viria a ficar conhecido pelo seu apelido, morreu nas Filipinas, em 1521, pelo que a viagem foi concluída pelo navegador espanhol Juan Sebastián Elcano.

Como escreveu o nosso grande poeta Luis de Camões em “Os Lusiadas”: “Por mares nunca de antes navegados; … Por vias nunca usadas; … Novos mundos ao mundo irão mostrando;” Portugal desempenhou, no passado, um papel inegável na promoção do conhecimento, é agora chegado o momento de agir, de contribuir para uma sociedade mais equilibrada e com maior bem-estar para todos, em particular na área da sustentabilidade ambiental do planeta Terra que é a nossa casa, o suporte da vida.

Congratulamo-nos por Lisboa ter recebido o Energy Observer e esperamos vivamente que a mensagem de necessidade de preservação do ambiente e a procura soluções para a transição energética ecológica faça parte das prioridades dos decisores mundiais.

Entre outros apoios, este projeto conta com o da Toyota Motor Europe, que tem tido um papel muito relevante na construção de carros elétricos e na tecnologia de hidrogénio com zero emissões. Tendo sido pioneira com o Toyota Mirai – o primeiro automóvel usando uma pilha de combustível de produção em série no mundo, continua apostando na realização de testes para garantir que o hidrogénio pode funcionar como uma alternativa viável ao combustível tradicional.

O rio Tejo deixa de ter o catamarã Energy Observer que vai continuar a sua odisseia pelo mundo até 2022. Uma aventura que começou em 2017, ao todo passa por 50 países, Portugal incluído, e irá fazer 101 escalas. Obrigada tripulação pelo excelente trabalho! Que as vossas e igualmente nossas aspirações se concretizem – que um dia todas as nossas cidades e casas funcionem como o Energy Observer. Afinal, os dois primeiros comboios movidos a hidrogénio já estão a operar, começaram a circular nesta segunda quinzena de setembro no norte da Alemanha. Tudo é possível!

Boa viagem e bom trabalho!

Do mar à Serra de Monchique

O fascínio do mar e da serra leva-nos a um passeio entre Albufeira e a Serra de Monchique.

20180724_124917.jpg

Damos nota de que, no dia da publicação deste artigo, um incêndio lavra na Serra de Monchique, consome mata, os bens dos habitantes e ronda povoações colocando-as em perigo. Acontecimento que nos entristece profundamente e nos faz recordar outras tragédias associadas a incêndios ocorridos em outras datas e em outros locais.  É avassalador ver as imagens transmitidas nos telejornais e pensar que ainda há poucos dias estivemos apreciando a tranquilidade e beleza desta serra. As altas temperaturas que se fazem sentir no início deste mês de agosto, obrigam a cuidados redobrados com a natureza e em especial com as florestas.  

Por aqui e ali, num dia de verão partimos de Albufeira, uma cidade disposta em anfiteatro sobre o mar, passando por jardins, pelos campos, por Silves, bebendo água das caldas de Monchique e subindo ao pico da serra em Fóia.

É inegável o apelo do mar que nós portugueses sentimos. Seja pela brisa fresca, pela beleza da nossa costa, pelas areias finas e douradas que nos massajam os pés descalços percorrendo a praia, pela sensação fresca e revitalizante de um banho de mar, pela carícia do sol na pele após o banho, pelo som cadente das ondas que morrem na areia, pelo voo das gaivotas, no verão, o mar chama-nos, ainda com mais intensidade.

Albufeira passou de uma tranquila vila piscatória onde podíamos apreciar a azáfama das lides da pesca e, por vezes, assistir à chegada das pequenas embarcações dos pescadores à designada “praia dos pescadores”, a uma cidade turística conhecida internacionalmente. A praça onde se comprava o peixe fresco, era logo ali por cima da “praia dos pescadores”. Recordamos essa vila passeando pelo espaço onde, atualmente existem múltiplas esplanadas de restaurantes e de bares. Contíguo à praia dos pescadores é montado o palco para a atuação de artistas vários que animam as noites de verão. Numa noite fresca com a brisa a soprar, percorremos as bancas montadas nesse espaço, deliciámo-nos com bolos tradicionais de amêndoa e ovos, ao som de músicas populares como “A Perninha da Menina” e outras, que uma banda entoava.

O mar, a baía de águas tranquilas, construções de areia do artista José Monteiro, recantos da cidade de Albufeira.

Mas, não só a praia e o mar exercem um fascínio sobre nós, também os jardins, que se vestem de cores quentes com as flores e cores de verão, fazem o regalo da nossa vista.

Um dia bem cedo, partimos para um passeio até à serra de Monchique para a redescoberta de recantos, para deixar que o verde da vegetação e dos frutos que aguardam o sol para amadurecerem, nos despertem os sentidos e nos transmitam a sensação de um bem-estar muito tranquilo, tão necessário para retemperar as forças para uma vida citadina e agitada na maior parte do ano.

Pelo caminho parámos em Silves, de longe avista-se o castelo.

20180724_105433.jpg

Aqui acontece todos os anos, em agosto, a Feira Mediaval que traz animação ao centro histórico desta cidade algarvia bem como outras iniciativas como os fins de tarde no Castelo, que procuram trazer vida e animação.

Tal como acontece em muitas das nossas cidades mais pequenas, observámos belos prédios um pouco degradados ou deixados ao abandono. Situação que nos causa alguma apreensão pela necessidade de preservação do património edificado que faz parte da nossa história e cultura e também pelo despovoamento que acontece em algumas zonas do nosso país. Algo deve ser feito para promover a fixação das pessoas nas pequenas cidades e povoações do nosso país.  É, não só, a beleza natural deste território que se estende à beira mar mas, fundamentalmente, são as pessoas que o tornam genuíno e procurado pelos turistas.

Seguindo em direção a Monchique, vemos aparecer alguma vegetação característica, constituída por sobreiros e medronheiros. Ao longo da estrada surgem ninhos de aves, colocados no topo dos postes, com os seus habitantes que nos remetem para histórias antigas e de encantar povoadas de cegonhas e de bebés transportados por estas, para as casas que os aguardavam.

Repousamos no espaço das termas e bebemos a água fresca que jorra, sem parar, de uma bica no meio da mata, ao som das cigarras.

 

Já com vontade de almoçar, subimos mais um pouco, na direção de Fóia. Parámos no restaurante “Luar da Foia” onde, para além, de uma refeição saborosa, bem confecionada com produtos de qualidade, com uma variada ementa, pode apreciar a paisagem que se estende aos nossos olhos a partir da varanda que circunda o restaurante ….

Depois de um belo repasto, a tarde já ia avançada, seguimos ainda mais um pouco até ao ponto mais alto da serra Foia, onde se encontram instaladas uma série de antenas e outros dispositivos de transmissão. Aqui, pode sentar-se numa esplanada, apanhar o ar fresco que se faz sentir na brisa que corre o espaço e deixar fluir o tempo, entre uma conversa e a água que mata a sede…

20180724_150435.jpg

A Perninha da Menina

Passei de largo para ver se não te via
Se me esquecia do teu doce bamboleio
Mas por má sorte caminhaste para mim
Olhos gulosos e assim
Com o vento a colar teu seio

Olha a perninha, a perninha da menina
Olha a perninha, a perninha a dar a dar
Cabeça não tem juízo e a perna é que vai pagar
Cabeça não tem juízo e a perna é que vai pagar

Amor de verão que foi no tempo das colheitas
E o teu perfume tinha a naturalidade
De quem descansa dos trabalhos e maleitas
Nos derriços mais gostosos de uma breve mocidade

Olha a perninha, a perninha da menina
Olha a perninha, a perninha a dar a dar
Cabeça não tem juízo e a perna é que vai pagar
Cabeça não tem juízo e a perna é que vai pagar

Mas da seara cortada fez-se farinha
Dessa farinha com fermento fiz o pão
Ficou-me ao peito essa trigueira rainha
Que me roubou alegria ao meu canto e coração

Olha a perninha, a perninha da menina
Olha a perninha, a perninha a dar a dar
Cabeça não tem juízo e a perna é que vai pagar
Cabeça não tem juízo e a perna é que vai pagar

Pedro Barroso

As 10 dicas da praxe para receberes o verão!

Aproveita o verão! Cada uma com o seu estilo, mas sempre com muito charme, que o calor é abrasador.

Calor a chegar cuidados a ter. Aproveita o verão que te chama e cuida-te! recorre às tendências e ao que de melhor esta estação tem para nos oferecer – cada uma com o seu estilo, mas sempre com muito charme, que o calor é abrasador!

Na linha e na forma usa as cores em teu proveito, com estilo aposta na versatilidade! Aqui ficam algumas dicas para viveres um verão com muito sol, muito céu azul, muita praia, muita natureza, em família ou com amigos, como e onde mais te agradar, mas sempre bela.

 

Bronzear

A nossa maior fonte de vitamina D é o sol, mas não abuses. Pretende-se um bronzeado com cor não uma insolação. Dizem os especialistas que devemos receber o sol pelo menos 15 minutos todos os dias, sem protetor. Mas é q.b., depois os cuidados de proteção solar são essenciais para não sofrer queimadoras prejudiciais à pele e à saúde.

Antes das 10h e depois das 16h – horário saudável. Nas restantes horas, deves usar protetor solar de 2 em 2 horas, ou após o banho. Não esquecer que as sombras são excelentes para apaziguar o calor intenso.

Não esquecer o protetor solar específico para o rosto, usar hidratantes e ter sempre no saco de praia um hidratante pós-sol, para tratar e refrescar a pele – quem sabe se não haverá programa para um final de praia antes de ires para casa;

 

A Assessota Elite Oriflame Bé Baptista falou-nos um pouco dos seus produtos nomeadamente esta gama Sun Zone que contém filtros UVA e UVB com Vitamina E, a qual oferece um leque de cuidados solares para proteger a tua pele e a da família, desde protetores a pós-solares suavizantes.

 

água de coco

Hidratação

Essencial mas essencial mesmo – água, água e mais água. É sem dúvida um dos principais cuidados a ter, sobretudo na praia. Seja ela qual for: simplesmente água, aromatizada ou água de coco, bebe no mínimo dois litros para repor o líquido que perdes, incluindo frutos como a melancia por exemplo, que tem muita água.

BEBA ÁGUA … SIMPLESMENTE SABOROSA!

 

Cabelos brilhantes e cuidados, a praia assim o exige

Hidrata o cabelo com produtos caseiros ou de compra, mas hidrata e durante a estadia na praia usa um protetor solar próprio para cabelos que bloqueiam os raios UV agressivos, deixando ao mesmo tempo os cabelos brilhantes e hidratados. Não te esqueças que para cabelos saudáveis cuidados redobrados no verão em época balnear. A água salgada estraga o cabelo e o sol é um dos piores inimigos dos fios capilares, por isso é “obrigatório”, depois de um dia de praia, passar sempre o cabelo por água limpa.

ENCANTO COM PRODUTOS NATURAIS – O SEU CABELO AGRADECE E NÓS BRILHAMOS!

pes 1

Pés e mãos

Pés bonitos e saudáveis precisam-se o ano todo, mas no verão… não os negligencies nem os ignores. Bons hábitos de higiene são necessários, usa protetor solar nos pés na praia, aplica um creme anti transpirante nos pés ou pó de talco nos sapatos fechados para evitar a humidade, faz esfoliação para remover a pele morta especialmente no calcanhar, hidrata os pés com um bom creme. Aproveita a praia para exercitar os pés enquanto estás deitada na areia ou mesmo dentro de água, por exemplo: levanta um dedo de cada vez e de seguida separa-os, faz várias vezes ao dia. Aproveita e relaxa.

Tentações comestíveis

Esplanadas e bares proliferam à volta das nossas praias. Cuidado com as iguarias deliciosas que nos fazem cair em tentação, mas que podem ser de difícil digestão para quem quer ir tomar um banho refrescante. Leva o teu lanche com sandwiches saudáveis, feitas em casa, e frutas muitas frutas. Para além de saudáveis sempre sai mais barato. Reserva o petisco para depois da praia, é mais seguro.

NOVOS SABORES ALIMENTARES PARA CRIANÇAS – A SIMPLICIDADE E A COR DOS NOSSOS QUEQUES E PANQUECAS!

A moda e o verão

Estar na moda é uma máxima a não perder! Cuidado com dietas de última hora arrasadoras, para estares na linha com a moda. Opta por roupas leves em especial de algodão ou de malha em dias de calor. Os tecidos sintéticos não são de todo aconselháveis. Usa e abusa de cores claras pois são mais frescas e diverte-te.

Pais gozem a praia sem sustos

Que susto perder um filho na praia. Crianças são crianças e todas as atenções nunca são demais, elas tem arte e engenho para escaparem do nosso campo de visão muito rapidamente, uma pequena distração e “puff”. Coloca uma pulseira com o nome da criança, o teu e contacto telefónico. Ah e não te esqueças de conversar com a criança e dizer o que ela deve fazer caso isso lhe aconteça – dirigir-se ao nadador salvador, por exemplo.

surfExercício físico

É bom e recomenda-se, mas logo pela manhã ou ao final da tarde, pois o exercício físico na praia é ideal para manteres a forma: nadar, correr, jogar voleibol, surf, entre outros – confere resistência extra, logo queima mais calorias e as articulações agradecem. Mas cuidado com as lesões, protege-te com roupa adequada para exercitar e bebe água para te hidratares.

A praia e as doenças de pele

Evita o uso de maquilhagem e perfumes pois podem causar reações alérgicas. A exposição à areia, aos ventos e à água do mar pode provocar algumas doenças como por exemplo as micoses causadas por fungos tão características no verão, as odiosas manchas da pele, devido à humidade bem como as doenças causadas por bactérias, que podem causar feridas ou bolhas na pele. Um dermatologista deve ser visitado caso aconteça alguma destas situações.

Atitude

Vive o verão com atitude e inteligência. Mantém a frescura, a simplicidade e, se possível, a moda. O estilo és tu que o fazes, mas dica importante: investe no que é prático e saudável. Cuidado com os raios ultra violetas, tem atitude e segue as dicas, usa uns bons óculos de sol para protegeres os teus olhos e um bom protetor solar para prevenires o desenvolvimento de doenças como o cancro. Cuida-te com atitude!

Inspira-te e leva, para passares um verão saudável! Se estas dicas te ajudaram, partilha.