Mãe, todos os dias são teus!

Em todos os ciclos de vida a nossa mãe está presente.

A presença dos pais junto dos filhos é uma relação de conforto e ternura. Todo o acompanhamento, quer pelo pai quer pela mãe,  é o alvo primordial para o nosso bem estar.

As interações que estabelecemos com a nossa mãe influenciam, de forma mútua, as nossas vidas, as nossas experiências e os nossos pensamentos.  Em questões emocionais, o abraço, o beijo e o olhar, com a nossa mãe, permitem uma troca energética de cumplicidade e de amor.

Todos os dias são dias da mãe mas, no primeiro domingo de maio, têm um toque de flores, de lembranças, de união e do saber que emerge do papel de mãe.

Para dar continuidade, temos de reconhecer que saímos do ventre de nossa mãe, que houve um cordão umbilical que nos uniu e onde as trocas foram constantes, com base numa aprendizagem de dar e de receber desde o momento da nossa criação, dos nossos princípios e dos nossos segredos.