A nova Faculdade de Economia da Nova!

Hucilluc foi “olhar” este lugar único que dá vida a uma universidade, a Nova SBE

A 29 de setembro foi inaugurado com “pompa e circunstância” o “campus” de Carcavelos, em Cascais, a nova Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa – a Nova School of Business and Economics (Nova SBE).

Um projeto que contou com alguns anos de existência e só foi possível a sua concretização com a realização de uma colossal campanha de angariação de fundos que permitiram financiar a edificação da Nova SBE.

Foi largamente noticiada pela comunicação social a cerimónia de inauguração que contou com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, entre outros convidados ilustres do mundo político, académico e económico, tendo condecorado a Nova SBE com o título de membro honorário da Ordem da Instrução Pública.

Este foi o slogan com que o presidente da Câmara de Cascais concluiu a sua intervenção “Viva a Nova SBE, viva Carcavelos, viva Cascais, viva Portugal”.

A equipa hucilluc no dia seguinte respondeu à chamada e compareceu no local para “olhar” este lugar único que dá vida a esta universidade, com 46 mil metros quadrados. Grande confusão instalada – camiões a carregar material, uma quantidade imensa de trabalhadores a retirar “lixos”, outros ainda nos acabamentos, muita mas mesmo muita coisa ainda por fazer. Entramos mas o segurança avisou que não estava aberto ao público, só na próxima segunda-feira, e que só se podia tirar fotos da parte exterior. Compreensivamente foi o que fizemos, estavam no rescaldo da cerimónia.

É muito comum ver inaugurações com obras inacabadas. Na verdade a Nova SBE já entrou em funcionamento e como se pode comprovar no local as residências já estão ocupadas com os novos alunos. Mas ainda assim os terrenos limítrofes só tem “terra e pó” e algumas máquinas aí instaladas.

Não queremos ser pessimistas e muito menos alarmistas mas gostaríamos de ter visto uma outra dinâmica – uma Nova SBE em pleno funcionamento mais limpa, mais verde e com os vários espaços que a seu tempo ficarão, sem dúvida, devidamente compostos e acabados – um espaço excecional e moderno.

Ainda assim, congratulamo-nos com este projeto e parabenizamos todos os seus benfeitores que tiveram a audácia de acreditar no mesmo.

 

 

 

 

Et voilá, é uma escola que não parece, foge ao tradicional, está aberta à comunidade em geral e quem lá estuda ou trabalha pode receber as boas energias do mar ali tão próximo, já que goza de vistas privilegiadas sobre o mesmo.

Bom trabalho, boa investigação e bom lazer!!

No dia da liberdade, respondi à chamada e fui… melhor, fomos..

No dia da liberdade, visitámos um dos testemunhos “vivos” da expansão portuguesa, o Forte de Santo António da Barra, em S. João do Estoril

No dia da liberdade, respondemos à chamada, até porque “tudo começa nas pessoas” e partimos até um dos testemunhos “vivos” da expansão portuguesa o Forte de Santo António da Barra, em S. João do Estoril. Este monumento, acabado de renovar, está classificado como de interesse público. Há que preservar a nossa história, incluindo o património edificado.  

divider-2461548__340

Inesperadamente, naquele dia 25 de abril de 2018, o convite do Presidente da Câmara Municipal de Cascais, chegou – e bem a tempo de o aceitar. E lá fui eu mais a minha cara-metade, no dia da liberdade visitar aquele Forte, que imaginem há mais de década e meia por ali passávamos todos os dias, naquela marginal, ora correndo, ora caminhando, ora de carro e não fazíamos ideia do que estava por detrás daquela vegetação tão densa e cerrada que nada mostra do que está para lá dela. 

Deveras curiosos, respondemos à chamada, até porque “tudo começa nas pessoas” e partimos até um dos testemunhos “vivos” da expansão portuguesa, o Forte de Santo António da Barra, em S. João do Estoril, para uma inauguração com pompa e circunstância – abre portas ao público para as comemorações do 25 de abril, com uma exposição sobre a sua história ao longo dos séculos.

Construído para fortificar a barra do Tejo contra eventuais ataques, passou por diversas alterações para ser adaptado a Posto Fiscal, posteriormente a campo de Férias do Instituto Feminino de Educação e Trabalho de Odivelas e, mais tarde, tornou-se residência de verão de Oliveira Salazar. Entretanto encerrado, abandonado e sujeito aos mais variados atos de vandalismo, o processo de degradação instalou-se.

É, neste momento, um forte renovado após pouco mais de um mês fruto do trabalho da Câmara Municipal de Cascais, que detém até 2019 a responsabilidade de garantir a segurança e limpeza deste espaço, monumento classificado como de interesse público. Congratulamo-nos com este facto! Há que preservar a nossa história, incluindo o património edificado.  

Ficam aqui algumas imagens atuais, resultado da nossa visita ao recuperado Forte. E ainda algumas alusivas ao Dia da Liberdade.

forte 14

Para mais informações pode consultar os seguintes links:

https://cultura.cascais.pt/list/patrimonio/forte-de-santo-antonio-da-barra-ou-forte-velho

https://www.cascais.pt/noticia/25-de-abril-em-cascais-visita-ao-forte-de-santo-antonio-da-barra