Hucilluc – Aqui e Ali –  A história de um ano

Um ano do Blogue Hucilluc, Aqui e Ali, liga-nos ao que nos rodeia – Gratas a todos os que, de alguma forma, contribuíram para a concretização de um sonho.

var url= “https://www.hucilluc.blog”;
window.location = url;

 

Três mulheres e um blogue – O desassossego –

Era uma vez …, um certo descontentamento que pairava sobre 4 mulheres. Inquietando-as direcionou-as para um encontro numa esplanada de Lisboa.

Era um final de tarde quente num dia do mês de outubro, quando vindo daqui e dali, uma a uma foi chegando e se sentou. Cada uma trazia consigo uma experiência de vida própria, uma ansia de fazer algo de novo, algo inspirador.

Quem são estas mulheres? Assim nos definimos:

A Donna, dona do seu próprio destino, quer procurar e compartilhar ensinamentos para a transformação e desenvolvimento pessoal, a estudiosa Anna que quer abarcar e transmitir todo o conhecimento, a talentosa Bella tem o desígnio da arte e a Antonella é a idealista que acredita que o mundo é a nossa casa.”

Cabe aos nossos leitores dizer se nos revêm nos artigos que escrevemos e publicamos.

O Sonho

Ali, entre risos e petiscos a conversa e as ideias fluíram e logo se brindou ao nascimento de um blogue. O que fazer? Que temas abordar? Que público atingir? Que plataforma utilizar? As dúvidas eram muitas e o conhecimento do mundo dos blogues muito limitado. Mas, mulheres decididas a dar asas à sua criatividade são imparáveis, não há dificuldade que não se ultrapasse, desafio que não se vença cada uma fazendo o que de melhor sabe fazer.

A partida

Compromissos pessoais e profissionais levaram uma das 4 a afastar-se desta aventura. Ficámos 3, que desdobrando-se em trabalhos inventando tempo que parecia não existir, deram vida ao blogue sempre com o compromisso de partilhar o que mais as inspira.

As voltas da Vida

Durante este percurso, momentos houve que outra de nós, assoberbada por responsabilidades profissionais que a vida lhe impôs, teve de se afastar. Agora feito um ano, somos novamente 3.

Brindando a um ano de existência

Fazemos um ano de existência e brindamos à vida! Durante um ano trabalhamos, aprendemos, descobrimos talentos que não imaginávamos ter, convivemos, partilhamos pedaços de vida, consolidamos uma amizade que fica para o resto da vida.

Desta experiência de um ano de blogue, o que mais nos gratificou foi, sem dúvida, a descoberta de pessoas e projetos ímpares.

O sonho continua

Mulheres inquietas, sonhadoras e decididas não vão ficar por aqui. Queremos fazer mais e melhor, queremos evoluir e levar aos nossos leitores atuais e futuros, novos formatos de partilha de projetos.

O agradecimento

Aos amigos reais e virtuais que fomos encontrando e que nos têm vindo a apoiar nesta nossa aventura, sendo nossos seguidores e, muito em especial, aos que aceitaram o desafio de partilharem através do blogue, talentos, experiências de vida enriquecedoras e projetos ímpares, aqui expressamos a nossa gratidão.

poema 1 ano (1)

Os nossos amigos, ficámos a conhece-los pelo nome:

Um brinde e votos de muitos sucessos para todos, continuaremos a “ver-nos” por aqui!

Os Amigos

Celebrando a amizade que nos une! Partilhamos um poema de Eugénio de Andrade

red-631346__340Os amigos amei despido de ternura fatigada; uns iam, outros vinham, a nenhum perguntava porque partia, porque ficava; era pouco o que tinha, pouco o que dava, mas também só queria partilhar a sede de alegria — por mais amarga.

Eugénio de Andrade, in “Coração do Dia”

 

Aprimorar a amizade nas redes sociais!

Redes Sociais – Conectar, aderir, aceitar ou recusar pedidos de amizade, restringir acessos – a opção é sua, não esqueça que é uma janela aberta que expõe os mais variados perfis de pessoas neste novo mundo da web.

O tema amizade nunca se esgota e pode até ter várias abordagens. A que neste artigo vai ser falada é aquela amizade “fácil”, aquela que todos lidam no dia-a-dia, e que facilmente encontramos nos “sítios” das redes sociais, como por exemplo, no Facebook, no Twitter, entre outras. Mas aviso importante se não é fã de amigos virtuais então está no sítio errado. Conectar, aderir, aceitar ou recusar pedidos de amizade, restringir acessos – a opção é sua, não esqueça que é uma janela aberta que expõe os mais variados perfis de pessoas neste novo mundo da web.

Aquela amizade que é mais imediatista, mais superficial e por vezes mais reducionista, a que não tem aquela convivência do dia-a-dia, com pessoas ali ao nosso lado, de carne e osso, e que é a mais difícil de fazer e manter na vida, e que conotamos como verdadeira – é um trabalho constante e diário ao longo da vida, pois a amizade não se força, constrói-se.

like-1873541__340Nesta virtual é muito fácil fazer amigos – manda-se beijinhos, dá-se os parabéns pelos aniversários, pelo nascimento de um filho, pela licenciatura, deseja-se um feliz natal e um ótimo ano novo, colocam-se “likes” em tudo o que é foto, imagens de lugares e em publicações nas cronologias de uns e outros, emoji’s de tristeza, a rir, de ira ou de surpresa para mostrar o que se sente, “curte-se” receitas que este e aquela muito gentilmente oferecem, anuncia-se blogues, divulga-se eventos a pedido ou de nosso interesse, de amigos de nossos amigos e de amigos de outros amigos de nossos amigos e de conhecidos de amigos … um “mundão” de gente desconhecida mas virtualmente conhecida.

Mas também pode acontecer que toda essa interação seja considerada incómoda por algum dos conteúdos serem, digamos, dispensáveis, para não dizer “chatos”, até apetece fazer um “unfriend”, palavra mais agradável para não dizer “desfazer ou remover” a amizade.

Mas claro que é difícil quando se trata dos nossos amigos ou familiares a postarem assuntos irrelevantes ou constantes e repetitivos, quem consegue lidar com a situação? Como gerir um não, é uma ofensa para uns, tristeza para outros, zangas e frustrações que acontecem aqui e ali … Atitude, regras de etiqueta (educação), compromisso, discrição, bom senso e critério na publicação de conteúdos são essenciais para a boa prática dentro e fora da rede.

Mas não será a amizade tudo isso, seja virtual ou verdadeira, ela tem de sobreviver ao mau, ao fracasso, a um “não” ou a uma crítica mas também ao bom, ao sucesso, a um “sim” estou aqui para ti, por ti e para nós. Ambas mexem com os nossos sentimentos, sendo que na primeira tem-se muitas amizades, onde a quantidade suplanta a qualidade e a outra cuja “afinidade não se explica, a confiança não se obriga e sentimento não se controla”. E se na virtual os amigos, obrigatoriamente, tem mais contacto em tempo virtual, na outra também há amigos de carne e osso que tem mais contacto em tempo virtual do que em tempo real. Esta é sem dúvida uma mudança significativa na forma de viver e construir as amizades.

Na verdade, as redes sociais causaram um impacto muito grande nas sociedades e foram ganhando espaço no nosso dia-a-dia, trouxeram novidades e podemos estar Aqui e Ali a par do que nos rodeia à distância de um clique, viajando e conhecendo o mundo, interagindo e partilhando instantaneamente ideias e sentimentos.

Virtual ou Verdadeira todos merecem o nosso respeito. Numa clica-se para se fazer e desfazer amizades, para manter os amigos em contacto, (especialmente aqueles que estão longe), na outra exige cumplicidade, constante aprendizagem e saber conviver, partilhar experiências e vivências, apesar dos defeitos e das dificuldades sentidas, os altos e baixos. Ambas são válidas – permitem fazer novos amigos e conservar os velhos!

friends-1994508__340

10 Dicas e truques para um salutar convívio nas Redes Sociais:

  • Se Não gosta de declarações públicas de amor Não as faça …
  • Se gosta e Não tem demonstrações de amizade Não se entristeça nem se zangue, conquiste-as …
  • Se Não gosta de expor a sua vida na Internet Não exponha e evite. O que ninguém sabe ninguém estraga…
  • Se Não quer ser “comentada” Não exponha imagens embaraçosas, fotos íntimas …
  • Se Não falaria em público então simplesmente Não publique …
  • Se gosta do convívio social Não desperdice tempo demais no telemóvel a “cuscar” novidades e Não distancie quem está ao seu lado …
  • Se Não tem contacto “real” com os amigos Não se esqueça quão importante é, convide para …
  • Se Não tiver cuidados redobrados a aceitar amizades Não se esqueça que os ciber criminosos são uma realidade e podem roubar a sua identidade, use os recursos disponíveis…
  • Se Não quer que assaltem a sua casa Não coloque fotos dos locais por onde anda, restaurante, férias, etc. Partilhe as fotos e comentários depois de regressar a casa.
  • Se Não tem etiqueta virtual [regras] Não pode deixar de transportar a convencional, difícil mas útil e essencial. Um dos princípios da etiqueta é a educação, o bom senso e critério dentro e fora da rede, harmonize…

handshake-3382503__340.jpg

Leia, inspire-se, partilhe e viva a amizade!

Amigas – Um gelado que saiu caro!

As amigas são aquelas pessoas que sabemos que sempre estão lá para nos ouvirem, apoiarem quando mais precisamos, mas também para nos ajudarem a festejar a vida.

As amigas são aquelas pessoas que sabemos que sempre estão lá para nos ouvirem, apoiarem quando mais precisamos, mas também para nos ajudarem a festejar a vida enquanto é nosso o dia.

Um grupo de 4 amigas que se conheceram no local de trabalho e que se aproximaram numa amizade que permanece após largos anos e percursos profissionais diferentes. Deste grupo fazem parte duas amigas mais expansivas, uma de gargalhada fácil e grande, outra exuberante no estilo, as outras duas menos expansivas, mas de coração aberto à amizade e à boa disposição.

Cada uma possui uma personalidade bem distinta com opiniões próprias o que, por vezes, nos faz discutir assuntos de forma viva mas, isso em nada prejudica a amizade que sentimos. Quando num restaurante as amigas se juntam para celebrar a amizade e resolvem discutir animadamente um assunto que, entre elas, era entendido de forma diferente, quem almoça na mesa do lado, acaba por se introduzir na conversa resultando numa agradável troca de ideias.

Mas, não é isso mesmo a amizade? A aceitação do outro independentemente da opinião!

O hábito dos encontros regulares deste grupo, cheios de peripécias, alegres gargalhadas ou de conversas mais sérias sobre acontecimentos e sobre a vida, é revigorante para as quatro e para os amigos das amigas que, por vezes se juntam, e passam a ser que nossos amigos.

É a necessidade inerente à vida, mas também a forte ligação que em nós permanece, que dita a aproximação num encontro onde a vida flui, libertando-nos dos problemas, dificuldades e agitação diária. Tanta história para contar, tanto para dizer, tanta gralhada para dar que um simples encontro para um chá ao final da tarde, se transforma  numa noite de petisco e se celebra, com uma garrafa de champanhe, até ao fim do dia.

A história num dia do nosso almoço no restaurante a Valenciana, contada pela amiga Mad.

Depois de almoço, já a tarde ia avançada, depois de ter ficado sem bateria no carro… depois de teres sido tu a levar a amiga Maria a casa e, depois de termos “engatado” um simpático cavalheiro que se prontificou a ajudar a fazer “pegar de empurrão” o carro, num desnível ali existente… Não satisfeitas com toda esta emoção, ainda resolvemos ir comer o famoso gelado “Nannarela” em S. Bento.

Não havia nenhum sitio para estacionar…. (ninguém se lembra que os carros não cabem nos bolsos das pessoas…). Já estavam muitos carros estacionados à volta do passeio…de certo modo, fui induzida em erro…. e resolvi pôr também o meu.

Entretanto gera-se a confusão com uma ambulância, dois autocarros da carris e outras viaturas estas, já estacionadas em segunda fila… Vem o policia e eu já não consigo tirar o carro e pago uma multa de 19,95€.

Entretanto, acaba o gelado e um dia preenchido de peripécias. Um gelado que saiu caro!

Conheça o restaurante a Valenciana em:  https://www.facebook.com/Restaurante-A-Valenciana-529026417135590/

Os gelados em Nannarela em: https://www.facebook.com/GelateriaNannarella/