Aqui e Ali a natureza anuncia a primavera – Vila Nova Foz Côa

Em Vila Nova de Foz Côa aprecie um espetáculo em cor branca e rosa, com que a natureza nos brinda, as amendoeiras em flor!

Durante este mês de março, assistimos à renovação da natureza que anuncia a chegada da primavera!

Apreciamos o nosso país e sentimos que fazemos parte de um povo com uma cultura da qual nos orgulhamos. Vamos dar a conhecer as nossas experiências e incentivar os nossos leitores a comprovarem estas características únicas.

Neste artigo, falamos de um espetáculo em cor branca e rosa, com que a natureza nos brinda, as amendoeiras em flor!

Este espetáculo tão passageiro, pode ser apreciado em várias regiões do país, mas vamos focar-nos numa região onde a paisagem se impõe perante nós e nos faz sentir que, de facto, somos pequenos. As amendoeiras em flor, na região do Alto-Douro que, por si só, já nos surpreende em beleza ao longo dos vales do rio Douro e do rio Côa. Na região do Douro, existem múltiplos locais a visitar que se cobrem de cores diferentes de acordo com as estações do ano.

Vamos situar-nos no concelho de Vila Nova de Foz Côa, aconselhamos que não perca este espetáculo, programe já um fim de semana prolongado para que tenha tempo de se libertar do stress diário, para se deliciar com a natureza, com a gastronomia rica e saborosa da região e visitar locais onde a presença humana desde tempos muito remotos, se encontra documentada em gravuras rupestres.

A partir do Porto, escolha um dos vários percursos alternativos para chegar a Vila Nova de Foz Côa. Ao logo do caminho que escolher, aprecie a natureza e encante-se pelo património edificado existente desde castros, igrejas, capelas, solares, pontes romanas e outros. Encante-se pelo Pocinho, por Penedono e outras aldeias históricas como Castelo Rodrigo envolta de muralhas e flores de amendoeiras.  Para dar resposta à procura turística nesta época, são organizadas feiras e romarias onde pode observar e adquirir produtos artesanais numa variedade muito grande, como mantas, meias e gorros feitos de lã, uma variedade de enchidos, queijos e outros objetos e produtos da região. Não perca uma visita ao Museu do Côa onde para além de poder apreciar factos da história que mostram a presença e evolução do homem, pode também, apreciar a natureza que se expõe perante nós, a partir das janelas e terraço do museu.

Com o espírito em paz e em harmonia com a natureza, sinta o conforto de uma boa refeição confecionada com produtos da região, desde o pão centeio com azeitonas, peixes do rio fritos, até aos pratos de caça, acompanhando com um bom vinho do Douro, num dos vários restaurantes da região que, na sua maioria, são panorâmicos permitindo que continue a deliciar-se com a paisagem.

Conheça a lenda associada às Amendoeiras em Flor – “O que a princesa tem é saudade da neve!”

Se quiser inspirar-se na companhia de um bom vinho, veja aqui as sugestões no artigo Essência do Vinho, relaxe e divirta-se!

Para melhor programar a sua visita fique a conhecer mais no site da Câmara Municipal

 

Termas de Monfortinho – “Um lugar sem tempo e com tempo para tudo”

Faça uma pausa no dia a dia agitado e programe uma visita às Termas de Monfortinho. Usufrua de um programa nas termas e aproveitar para descobrir a região com várias aldeias que merecem ser visitadas.

As termas situam-se na zona centro do país, Beira Baixa, no concelho de Idanha-a-Nova. As águas provenientes da Serra de Penha Garcia, são indicadas para o bem-estar do corpo em especial para tratamento da pele (psoríase, eczemas, dermatites, acnes, etc.) e das mucosas do aparelho digestivo e respiratório. Estão inseridas numa antiga povoação Monfortinho junto ao rio Erges que faz fronteira com Espanha.  O edifício onde funcionam as termas é antigo, mas encontra-se conservado e com um estilo simples e funcional.

Hotel_termas

Na povoação encontra uma oferta de alojamento bem diversificada. Junto às termas funciona o Hotel Fonte Sana, num edifício antigo, rodeado de magníficos jardins que criam um cenário ideal para repousar durante um fim-de-semana prolongado.

Recomendamos que não programe apenas um fim-de-semana, faça uma pausa mais prolongada para que possa usufruir de um programa nas termas e aproveitar para descobrir a região com várias aldeias que merecem ser descobertas. Incentivamos a que parta, que vá, que usufrua das termas e que visite a região com tantos locais genuínos, ricos em cultura, gastronomia, arquitetura e natureza. São locais onde se pode ligar à natureza e aos habitantes em perfeita harmonia consigo próprio e com o espaço que o rodeia, vivenciando uma experiência de puro lazer e de repouso.

Entramos na zona das termas. Toda a envolvente do local convida naturalmente a um abrandamento do nosso ritmo de vida, os sons que se ouvem são fundamentalmente provenientes da natureza. O espaço cercado de vegetação, está inserido numa pequena povoação onde se mantém a tradicional simplicidade de vida e de costumes. Para gozar de toda esta quietude em que o tempo de facto pára, faça uma escapadinha romântica de 4 dias, preferencialmente fora da época alta.

Experimentámos um programa “Anti-stress”. O “Duche Vichy com massagem a 4 mãos” e a “Massagem Ayurvedica” levam-nos para o mundo dos sonhos.  O programa ocupou 2 manhãs de sessões relaxantes o que permitiu arranjar tempo para visitar as aldeias históricas de Idanha-a-Velha, Monsanto, Penha Garcia e Medelim. Ficaram por visitar outras aldeias e locais igualmente interessantes nesta zona do país, Será uma oportunidade para uma nova viagem.
Regressamos à rotina diária completamente renovados!

Antes de ir, procure no site das termas de Monfortinho, a oferta de tratamentos e de programas de circuitos termais. Algumas imagens publicadas foram retiradas deste site.

Pode consultar mais sobre a região no separador de turismo do site do município de Idanha-a-Nova

Pelo Alentejo! Em Entradas, o Carnaval e o festival acontecem.

Vem aí uma época festiva, o Carnaval! Aproveite o fim de semana, saia de casa, quebre a rotina e viva uma festa temática. Vá até Entradas e participe no “Festival Entrudanças 2018”, que procura manter vivas as tradições da região Alentejana.

Terminado o mês de janeiro, os dias começam a ser maiores, a natureza desponta em cor e em flor preparando-se para a renovação que a primavera nos traz.

Vem aí uma época festiva, o Carnaval!

Aproveite o fim de semana e saia de casa, atreva-se a quebrar a rotina, solte a fantasia que há em si, viva uma festa temática alusiva ao Carnaval que procura manter vivas as tradições da região Alentejana.

No Alentejo a vista se perde nas calmas planícies que, nesta altura, ganham uma cor verde. É uma região rica nas tradições que ao longo do tempo se enraizaram e ganharam projeção, criando uma cultura muito própria da qual se destaca o Cante.

O evento a que nos referimos é o Entrudanças 2018, um festival onde durante três dias os bailes, concertos, cante alentejano, passeios e oficinas lhe vão dar muita animação para si e toda a família. O festival é organizado pela Associação Pedexumbo, Câmara Municipal de Castro Verde e Junta de Freguesia de Entradas. A localização escolhida para a realização do festival tem como principal desígnio prestar homenagem à cultura alentejana onde o Cante desempenha um papel fundamental. Sobre este evento pode ver mais informação no seu site.

Na bem característica vila de Entradas, pode visitar o património religioso como a Igreja Matriz, a Igreja da Misericórdia e a capela de Nossa Senhora da Esperança, passear pelas ruas ladeadas de casas tradicionalmente pintadas com cal branca e de frisos amarelos ou azuis, conhecer melhor o património cultural e social visitando o Museu da Ruralidade e sentir o conforto de uma boa refeição alentejana.

 

Visitando o Museu da Ruralidade

Para conhecer um pouco melhor algumas tradições e utensílios utilizados nos trabalhos do campo nesta região, não deixe de visitar o Museu. Aqui descobre histórias de vidas, utensílios vários, alfaias agrícolas, e objetos de artesanato.

 

Deliciando-se sem pressas.

Experimentar algumas iguarias da rica gastronomia. Hoje, falamos-lhe no restaurante “O Celeiro”, que procura manter um ambiente acolhedor e dar algumas notas de adaptação dos pratos tradicionais a gostos mais atuais. O preço é razoável tendo em conta a qualidade da comida e o ambiente proporcionado pelo espaço e seus funcionários.

 

Saboreando um néctar Alentejano.

Não deixe de visitar a Herdade dos Grous, onde pode ficar instalado durante a sua visita à região e, de deslocar-se à loja da herdade para comprar vinhos, azeite, doces de fruta tradicionais, chás de ervas e outros produtos. Não perca a oportunidade de comprar umas garrafas do magnifico vinho aí produzido.

Aconselhamos que não guarde esse vinho para uma ocasião especial, lembramos-lhe que especiais são todos os momentos que nos é dado viver.

Quando finalizar o seu programa de fim de semana e chegar a casa, instale-se confortavelmente no seu espaço e em companhia de alguém que ame, abra uma garrafa, saboreie o néctar e brinde ao seu dia.

 

A importância da água.

Extracto retirado do folheto do programa do festival “Entrudanças 2018”

“…. E cantemos em voz alta as músicas que desde tempos imemoriais, passando de geração em geração, celebram a água e nos ligam de forma incontornável à sua importância.

Se fores ao Alentejo
Não bebas em Castro Verde
Que as fontes cheiram a rosas
E a água não mata a sede
Ó água que vais correndo
Mansamente vagarosa
Passa lá ao meu jardim
Rega-me lá uma rosa

 

Já chove, já está chovendo
Já correm os barranquinhos
Já os campos estão alegres
Já cantam os passarinhos
Eu aprendi a cantar
Lavrando em terra molhada
Lá na solidão dos campos
Pensando em ti minha amada
Ó água que vais correndo
Para os lados do bem que adoro
Se não levas água avondo
Leva lágrimas que eu choro
In Cancioneiro Tradicional”
 

Barcelos e o Galo

A cidade de Barcelos, sua gastronomia e seus produtos artesanais nativos, tão típicos e criativos, o “Galo de Barcelos” que se tornou num símbolo da cidade, da região, do país e faz o deleite dos turista

Num país constituído por várias regiões tão diversificadas e únicas nas suas paisagens, costumes e gastronomia, vamos hoje situar-nos no Minho. O Minho constitui um território português virado para o Atlântico, caracterizado pelo verde da vegetação, própria de um clima frio e húmido que se aproxima, um pouco, do Norte da Europa.

Neste território onde se situa a cidade que viu nascer Portugal, Guimarães, existem inúmeros locais, produtos de artesanato, gastronomia e o tão especial vinho verde, romarias e outros, que são ímpares e merecem ser apreciados e documentados mais detalhadamente. No entanto, hoje queremos falar-lhe de Barcelos e de um dos seus produtos artesanais nativos, tão típicos e criativos, o “Galo de Barcelos” que se tornou num símbolo da cidade, da região, do país e faz o deleite dos turistas. Na sua origem e durante largos anos, a tradição originou a produção de “Galos de Barcelos” muito idênticos. Hoje em dia, o “Galo” tem vindo a ganhar novas formas e cores como resultado da inspiração de artesãos contemporâneos que foram diferenciando adequando-a a um gosto mais atual e voltado aos turistas.

Visite a cidade de Barcelos e toda a sua envolvente de uma beleza única, com inúmeros monumentos que nos transportam para os tempos da origem do nosso país. A tradicional hospitalidade das pessoas e a sua gastronomia rica, fazem deste local um sítio de destaque que merece ser visitado. É este conjunto de monumentos e cultura tão genuína que fazem de nós o país que somos hoje e que está a maravilhar um grande número de turistas.

A propósito do objeto de artesanato “O Galo de Barcelos”, durante a visita à região e à cidade garantimos que é impossível não resistir aos sabores da gastronomia tradicional muito rica e variada desde os doces aos pratos de rojões, bacalhau, papas de sarrabulho, e a um dos principais pratos tradicionais de Barcelos um delicioso “galo assado à moda de Barcelos” acompanhados de um excelente vinho verde da região. Este prato possui uma forte ligação à Lenda do Galo de Barcelos que pode ler aqui.